Andy e Lyndie

Ela foi Lyndie Dupuis antes de se tornar Lyndie Irons.  Nasceu no sul da Califórnia (San Diego), onde ela e sua irmã Aimee cresceram entre as praias e ondas. Lyndie conheceu o surfista de olhos azuis Andy quando estava fazendo um trabalho como modelo (profissão que iniciou aos 15 anos de idade) para a Billabong, patrocinadora de Andy Irons na época. Estavam em Tavarua, Fiji, e embora ambos estivessem em um relacionamento no momento, se reconectaram algum tempo depois em Encinitas, San Diego, onde ela morava. Logo estavam ambos solteiros, e começaram a namorar oficialmente em 24 de junho de 2001, cerca de nove anos atrás, quando Andy começava a ascender em sua carreira.

Lyndie se juntou a ele em todas as competições de surfe ao redor do mundo. Logo ela se tornou não apenas sua companheira de viagem, mas também sua empresária, e com essa nova posição, ela cuidou de cada detalhe como entrevistas, e-mails, planos de viagem e tudo o mais que permitisse a ele focar-se apenas no surf, dando créditos para seguir em seu sucesso ascendente.

“Ela tem muito a ver com o meu sucesso. Sem ela, nada na minha vida iria funcionar. Eu cairia fora dos trilhos”, diz Andy.

Eles ficaram noivos quatro anos mais tarde, numa praia em Fiji. Durante uma caminhada, percorreram um belo trecho de coqueiral apenas para encontrar “quer casar comigo” escrito na areia, seguido por Andy oficialmente ficando sobre os joelhos e sorrindo para ela. Foi algo que Lyndie descreveu como muito romântico e perfeito, embora primeiramente a proposta incluísse um divertido anel de diamante falso. Mas logo depois foi comprado o anel real, escolhido por ela.

Eles se casaram em 25 de novembro de 2007 em Anini Beach, perto de Hanalei Bay, em Princeville, Kauai. Os convites foram concebidos por Lyndie, e enviados sem o endereço da cerimônia, que foi divulgado apenas às vésperas da ocasião, para manter a privacidade. Ela teve a ajuda de suas amigas e de um famoso wedding planner, e criou o casamento na praia que qualquer garota sonharia. Andy usava Calvin Klein, enquanto Lyndie usava um vestido de seda branco deslumbrante. A cerimônia foi oficializada por Calvin Ho (ministro havaiano), diante de poucos e bons convidados e um entardecer lindíssimo. A atmosfera era magnífica, repleta das flores havaianas mais exóticas, bela música e gastronomia requintada. O noivo honrou a tradição do Havaí de romper uma casca de coco para simbolizar um novo começo, e ao final foram oferecidos como lembrança à todos os convidados pequenas estátuas em miniatura de Buda, vindas de Bali, em um sinal de gratidão.

Ambos queriam esperar alguns anos depois de se casar para começar a ter filhos, o que foi simplesmente perfeito para Lyndie, que em parceria com designers locais havaianos e sua querida amiga Naomi Newirth criou a sua prórpia marca Acacia. É uma linha de biquínis e maiôs, com modelagem menor, moderna para os padrões americanos, que agradou em cheio à mulheres e meninas, e agora conta com lojas em todo o Havaí, Califórnia e Nova Jersey, com promessas de expandir ainda mais o negócio.

Lyndie descobriu que estava grávida no início deste ano. Seu bebê Axel Jason Irons vai nascer em cerca de 5 a 6 semanas, agora no mês de dezembro. Infelizmente Andy não vai estar lá.  A tragédia atingiu a vida Lyndie nesta semana, em 2 de novembro, quando no início da manhã seu marido foi encontrado morto em um quarto do hotel Grand Hyatt, em Dallas, perto do aeroporto. Aparentemente ele estava se sentindo muito mal após deixar Portugal, alguns dias antes de sua morte. Decidiu seguir viagem mesmo assim e cumprir seu calendário de provas, mas em Porto Rico Andy foi impedido de competir na etapa por estar doente. Examinado por um médico no país caribenho, o surfista foi orientado a ir para um hospital, entretanto preferiu voltar para casa. À meio caminho de volta ao Havaí, também não recebeu autorização para trocar de vôo em Dallas, após ter embarcado em Miami e ter passado mal na primeira parte da viagem. Irons, sozinho e sem assistência da companhia aérea ou de qualquer outra parte, acabou se hospedando em um hotel no próprio aeroporto. Durante a noite, ele havia tentado contatar seu médico no Havaí, sem sucesso, e pela manhã o próprio médico tentou retornar a ligação. Diante da negativa de resposta no quarto, os funcionários foram checar Andy. Nessa hora ele foi então encontrado morto, na cama. Tinha apenas 32 anos de idade.

Fica somente a admiração e a saudade de um surfista que marcou seu tempo e que deixou, além de sua criatividade nas grandes ondas do mundo, um filho que terá atrás de si todo o seu legado. E caberá a Lyndie suprir a falta e cuidar do melhor para a vida do pequeno Axel, personagem dessa bela história de amor que não teve um final feliz.

2 comentários em “Andy e Lyndie

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s